História

  • 2010 - 2006
  • A ALCOBRE Condutores Eléctricos, S.A. é a mais antiga Fábrica de Cabos Eléctricos de Portugal e resulta da Unidade Artesanal iniciada pelo Sr. Álvaro Pinto dos Santos em 1910 na Avenida de França - 434, no Porto.

    Em 2010 e com a renovação do corpo directivo iniciamos uma nova fase. como forma de nos prepararmos para ultrapassar a actual crise, procedemos a uma serie de novos investimentos, que vão desde a modernização de algumas linhas até a aquisição de uma nova linha extrusoura, bem como novos programas de melhoria contínua, VSM.Esta modernização vai permitir Alcobre entrar numa nova área de fabrico, com novos produtos tais como Livres de Halogéneo, média tensão e resistentes ao fogo.

    Em 2008, apesar da retracção dos investimentos em geral, a Alcobre prosseguiu a sua política de investimentos, no sentido de maior autonomia na produção, e adquiriu uma cableadora de fios de alumínio e cobre e fios isolados. Como investimento interno é de realçar o início do fabrico de condutores sectoriais multifios de alumínio. A conclusão deste ponto, em conjugação com o anterior, é mais um passo importante no nosso objectivo de maior incorporação do valor acrescentado industrial. Na contínua procura de novos mercados, foram homologados na Argélia os cabos com marca NF USE (U-1000 R2V) e as torçadas em alumínio 2x16 e 4x16 mm2.

    Em 2007, tomou-se a decisão de investimento para fabrico de condutores de alumínio, com a encomenda de uma trefiladora de varão de alumínio, pela primeira vez na Alcobre. Esse investimento vem na linha de acções anteriores, com a finalidade de aumentar a nossa cadeia de valor acrescentado na produção, e a nossa autonomia em relação a fornecedores de matéria-prima. Alargamos as homologações e obtivemos pelo LCIE – Laboratoire Central des Industries Eléctriques a marca NF-USE dos cabos BT mais comuns no mercado, U-1000 R2V, U-1000 AR2V e ainda U-1000 RVFV.

    No ano de 2006, a Alcobre consolidou a sua posição no mercado espanhol, Houve também um aumento nas exportações para França, Chipre e Malta, mas sobretudo África Ocidental e África do Sul. Como reflexo da melhoria global da Alcobre, registamos que as exportações neste último ano ultrapassaram os 50% do volume total de vendas. No âmbito da qualidade, foi obtida a homologação na AENOR (Espanha) dos cabos livres de halogéneo até à secção de 95 mm2; obtivemos a renovação da Certificação ISO 9001:2000 pela APCER, bem como da manutenção da certificação dos produtos pela CERTIF. Procedeu-se à continuação das acções de Formação no âmbito da Qualidade e Segurança. Demos início à homologação dos cabos U-1000 R2V e U-1000 RVFV pelo LCIE (França), para prosseguir a nossa política estratégica de exportação.
  • 2005 - 1997
  • Durante o ano de 2005 serão de referir como factos de maior relevância:
    1-Implementação de nova ferramenta informática (SAP)
    2-Reestruturação do Labora ório no que concerne à distribuição de tarefas ligadas às actividades de ensaios, tendo sido obtida uma melhoria significativa nos tempos de preparação e registo de resultados.
    3-A Alcobre continuou com a sua aposta de crescimento nos mercados externos.

    Ainda em 2004, foi dada continuidade ao processo de investimentos com a entrada em funcionamento de novos equipamentos, para o fabrico de cobre flexível, em complemento das melhorias industriais iniciadas em 2003. Durante o ano de 2004, prosseguimos com a qualificação dos cabos RV Al nas empresas eléctricas espanholas, Endesa e Union Fenosa, que foram concluídos em Abril de 2005. Igualmente, foram iniciados em 2004 os processos de homologação na AENOR, dos cabos de cobre RV e RV-K, e dos cabos livres de halogéneo ES 07Z1-K e RZ1-K, tendo ficado concluídos os três primeiros em Julho de 2005. Em 2004, a Alcobre viu a sua quota reforçada em termos ibéricos.

    Em 2003, culminando o processo de adaptação do SGQ à NP EN ISO 9001:2000, a APCER concedeu a certificação à Alcobre. Na sequência de uma estratégia de internacionalização da Alcobre, iniciada há já alguns anos, em 2003 foi efectuada com sucesso a homologação dos cabos torçada pela EDF – Eléctricité de France. Tendo em conta os constrangimentos impostos pelo mercado, foi decidido pela Administração e aprovado pela Aberdare, proceder a investimentos no âmbito da verticalização das actividades fabris, pela aquisição de uma trefiladora e de uma cableadora, passando a Alcobre a trefilar o fio máquina e a cablear as suas almas condutoras. Sublinhe-se ainda durante o ano de 2003 uma importante reestruturação financeira da Empresa, que culminou com o aumento do capital social para 3.300.000 € em Fevereiro de 2004.

    Em 2001, a Alcobre renovou a Certificação do seu Sistema de Gestão da Qualidade de acordo com o referencial NP EN ISO 9001:1995, tendo como organismo certificador a APCER. As exportações aumentaram significativamente, tendo crescido 71% face ao ano anterior.

    Em 2000, a Alcobre foi considerada, pelo Jornal “Semanário Económico”, a primeira PME (Pequenas e Médias Empresas), do ranking das maiores 1500. Saliente-se que as PME dominam a economia portuguesa, representando a larga maioria do tecido empresarial nacional.

    Em 1997 a Alcobre é certificado com o Sistema de Gestão da Qualidade da Alcobre de acordo com a norma NP EN ISO 9001 pela APCER.E é distinguida com o Prémio “Empresa do Ano 1997” atribuído pela Câmara de Comércio Luso – Sul Africana.
  • 1996 - 1961
  • Em 1996 a Alcobre alargou o âmbito da Licença para o Uso da Marca <IPQ> <HAR> aos cabos H07V-K e H07V-R

    Em 1994, a Alcobre passa a estar integrada no Grupo Aberdare, o maior fabricante de cabos da África do Sul. Inicia-se então um processo de investimentos significativos em equipamentos industriais que permite duplicar a capacidade produtiva da empresa.
    Ainda em 1994 é de realçar:
    Obtenção da Licença para o Uso das Marcas <IPQ> <HAR> para os cabos H05VV-F e H07V-U e <IPQ> para o cabo A05VV-U.
    Obtenção do estatuto de Empresa Certificada, através da atribuição do Certificado de Conformidade nº 94/CEP.212, emitido pelo Instituto Português da Qualidade.
    Atribuição, pelo IAPMEI e BNU, do Prémio PME Prestígio a distinguir a boa capacidade de gestão da Alcobre.

    No início de 1993, a Alcobre transfere as Instalações Fabris e Sede Social para a nova Unidade Industrial de Ovar, o que lhe permite implementar de forma mais eficiente o Sistema de Gestão da Qualidade com vista à obtenção de um dos objectivos estratégicos da Empresa - a Certificação da Alcobre.

    Segue-se a homologação dos produtos da Alcobre, em 1990, pelos TLP - Telefones de Lisboa e Porto, S.A. e, em 1991, pela EDP - Electricidade de Portugal. Ainda em 1991, a Alcobre exporta pela primeira vez cabos eléctricos.

    Em 1989, com a entrada do Grupo Amorim e Grupo Sumolis para a estrutura accionista, a Empresa altera a sua designação social para ALCOBRE Condutores Eléctricos, S.A., e aumenta o seu capital para 300.000.000$00. Na sequência da dinâmica introduzida pelos Grupos Amorim e Sumolis procede-se ao recrutamento de Técnicos Qualificados e com experiência no Sector e inicia-se um processo de investimentos - em equipamentos e edifícios - para reestruturação, expansão e modernização da Alcobre com vista à melhoria da Qualidade dos produtos, alargamento da gama e capacidade de produção. Com o reforço da qualidade da empresa a Alcobre obtém em 1989 a homologação dos seus produtos pelos CTT-Direcção Geral de Telecomunicações.

    Em 1988 é adquirida pelo Prof. Eng. Campos Costa e pelo Grupo Sumolis.

    Em 1961, a Empresa constitui-se como Sociedade sob a designação social de Álvaro Pinto dos Santos & Filho, Lda, com o capital social de 200.000$00